Sa√ļde Brasil

Em feito inédito e revolucionário, primeiro transplante de rim de porco em humano é bem-sucedido

Por Redação

24/10/2021 às 22:56:47 - Atualizado h√°
Equipe médica em Nova York, nos Estados Unidos, usou o órg√£o de um porco modificado geneticamente para apagar uma molécula que provoca rejei√ß√£o em humanos. E funcionou. Em feito revolucion√°rio, primeiro transplante de rim de porco em humano é bem-sucedido

Uma cirurgia inédita e revolucion√°ria que ocorreu num hospital em Nova York pode ser o passo inicial para mudar a realidade de quem espera por um transplante de rim. No dia 25 de setembro, uma equipe médica realizou um xenotransplante, o transplante de um órg√£o entre animais de espécies diferentes. Neste caso, o corpo de uma mulher recebeu o rim de um porco.

Os cientistas usaram o órg√£o de um porco modificado geneticamente para apagar uma molécula que provoca rejei√ß√£o em humanos. O rim foi ligado às veias e artérias da paciente, que tinha insufici√™ncia renal, e ficou fora do corpo para que os pesquisadores pudessem avaliar melhor o que aconteceria. O rim do porco come√ßou a funcionar imediatamente e produziu urina. Depois de 54 horas de observa√ß√£o, n√£o havia sinais de rejei√ß√£o.

Um feito que pode melhorar a vida de pessoas que passam pelo que viveu o administrador de empresas Marcelo Spedo. Por mais de tr√™s anos, ele fez hemodi√°lise cinco vezes por semana, enquanto aguardava o transplante de rim, que finalmente aconteceu em julho. Hoje, poder beber √°gua à vontade é motivo de comemora√ß√£o.

O rim do porco funcionou imediatamente e produziu urina. Depois de 54 horas de observação, não havia sinais de rejeição.

Reprodução

"Todo mundo que faz hemodi√°lise tem uma restri√ß√£o de l√≠quido muito forte. Sen√£o, voc√™ retém muito l√≠quido entre di√°lises, tem edemas no corpo, sua press√£o sobe, e isso é um complicador do tratamento", lembrou Marcelo.

. Brasileiros editam genes de porcos, buscam verba e planejam testes para usar rim suíno em humanos; entenda

Milhares de brasileiros com insufici√™ncia renal aguardam por uma chance como a de Marcelo. No relatório de dezembro de 2020 da Associa√ß√£o Brasileira de Transplante de Órg√£os, havia 26.862 pessoas na fila por um rim. Em todo o ano passado, ocorreram somente 4.805 transplantes, e 1.780 pacientes que estavam na lista de espera morreram. O motivo principal: a falta de doadores de órg√£os.

O respons√°vel pela opera√ß√£o, Doutor Robert Montgomery, acredita que em até dois anos ser√° poss√≠vel fazer um transplante desse tipo num ser humano vivo. Isso porque no inédito procedimento a paciente tinha sofrido morte cerebral horas antes da cirurgia, mas, quando era viva, havia se registrado como doadora de órg√£os. Com o consentimento da fam√≠lia, ela acabou doando o corpo todo à ci√™ncia.

O futuro é promissor, mas a Doutora Amy Friedman, em Nova York, lembra que tem muita gente que precisa de um transplante agora, ent√£o n√£o pode esperar até que o xenotransplante seja uma realidade.

"Atualmente, h√° milhares de pessoas esperando um órg√£o, ent√£o todo mundo deve se registrar como doador e avisar a fam√≠lia sobre esse desejo."

Fonte: G1
Comunicar erro
Alagoas Em Dia

© 2021 Alagoas Em Dia
Notícias o tempo todo

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Alagoas Em Dia
X
X