AUTOM"VEIS em DIA FIAT PULSE

TESTE: Fiat Pulse anda mais que o VW Nivus, tem multimídia do tamanho de uma TV e preço começa em R$ 80 mil

"SUV do Argo" estreia em cinco versões, traz motor turbo e internet a bordo; versão mais cara sai por R$ 116 mil

Por Redação

19/10/2021 às 22:54:48 - Atualizado há

"A Fiat antes do Pulse é uma. E será completamente outra depois." As palavras de Herlander Zola, diretor da marca italiana para a América Latina, dão a dimensão e o grau de importância do inédito SUV (conhecido durante muito tempo como Progetto 363) como um divisor de águas para a Fiat. Depois de mais de três anos de concepção do modelo, de inúmeros teasers, de flagras e da revelação no Big Brother Brasil, o carro estreia com grande expectativa para agradar quem quer algo mais que um hatch — mas ainda não pode pular para um SUV compacto (de verdade) — e, de quebra, para disputar a preferência diretamente com o Volkswagen Nivus.

Para isso, a Fiat caprichou no Pulse: dois motores (um deles é o novo três cilindros 1.0 turbo, de que falaremos mais adiante), cinco versões – com três acabamentos – (Drive 1.3 MT, Drive 1.3 AT, Drive 1.0T, Audace 1.0T e Impetus 1.0T), câmbio CVT, visual diferenciado e um bom punhado de tecnologia. O preço é competitivo: de R$ 79.990 a R$ 115.990. O Nivus, por exemplo, vai de R$ 105 mil a quase R$ 122 mil. A faixa de preço do Pulse coloca em xeque o Argo Trekking, que deve deixar de ser oferecido em breve.

Versões e preços

Drive 1.3 manualR$ 79.990
Drive 1.3 CVTR$ 89.990
Drive 1.0 turbo CVTR$ 98.990
Audace 1.0 turbo CVTR$ 107.990
Impetus 1.0 turbo CVTR$ 115.990

Vamos começar pelas entranhas do Pulse, que foi polemicamente tratado como "SUV do Argo" desde sempre — em nenhuma apresentação oficial do carro os executivos se referiram a um hatch compacto. De acordo com a Fiat, o SUV usa uma plataforma inédita chamada Modular Architecture (MLA).

Na sigla, ao menos, ela é diferente da MP1 utilizada no Argo. Ainda segundo a marca, a base traz diversas modificações para melhorar a qualidade de rodagem, com vistas a diminuir ruídos, vibrações, asperezas e, claro, aumentar a segurança — tanto que os engenheiros prolongaram a longarina dianteira em 50%. No fim, 87% da carroceria é composta de aços de alta e ultra-alta resistência.

A lateral é a parte mais comum entre Pulse e Argo, porém para-choques e lanternas são exclusivos — Foto: Christian Castanho/Autoesporte

A lateral é a parte mais comum entre Pulse e Argo, porém para-choques e lanternas são exclusivos — Foto: Christian Castanho/Autoesporte

Fonte: Autoesporte
Comunicar erro
Alagoas Em Dia

© 2022 Alagoas Em Dia
Notícias o tempo todo

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Alagoas Em Dia
X