Cidades Maceió

Famílias protestam por solução para quem permanece em áreas afetadas pelo afundamento do solo em Maceió

Por Redação

13/09/2021 às 10:32:52 - Atualizado há
Moradores que vivem em áreas sem indicação de realocação sofrem ilhamento socioeconômico. Protesto bloqueou cruzamento entre a Ladeira Professor Benedito Silva e a Rua Marquês de Abrantes, em Bebedouro. Moradores do Flexal bloqueiam pista do Bebedouro

Moradores de bairros afetados pelo afundamento do solo em Maceió protestam nesta segunda-feira (13) para cobrar uma solução definitiva para as pessoas que permanecem nas áreas atingidas. Eles bloquearam o cruzamento entre a Ladeira Professor Benedito Silva e a Rua Marquês de Abrantes, em Bebedouro.

Essas famílias moram em ruas que não entraram no mapa de criticidade e, por isso, não têm indicação para desocupação, mas sofrem com o esvaziamento no entorno, perdendo comércio, equipamentos públicos e força econômica, entrando em um processo chamado de ilhamento socioeconômico.

Com faixas e cartazes, os manifestantes cobram uma solução para esse problema, já que não têm condições de sair de suas moradias sem uma indenização ou apoio do poder público.

Saiba mais sobre o afundamento do solo nos bairros

O presidente da Associação dos Empreendedores do Pinheiro, Alexandre Sampaio, disse que são mais de 2 mil famílias das áreas do Flexal de Baixo, Flexal de Cima e da Rua Marquês de Abrantes, em Bebedouro, e da Vila Saem, no Pinheiro, que permanecem no local.

"Além das 60 mil pessoas que perderam suas casas, tem gente passando por situação pior. Essas pessoas estão ilhadas. Estão expostas a violência, aos escombros das outras casas que já foram fechadas", relatou o presidente.

Por causa da mobilização, nenhum veículo passa pelas vias. Os motoristas que trafegam da Santa Amélia ou Chã de Bebedouro em direção ao Centro são orientados a seguir por outras rotas. A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e a Polícia Militar foram acionadas ao local.

Por meio de nota, a Braskem informou que atua na área delimitada pela Defesa Civil que exige realocação imediata e na que determina monitoramento e não exige mudança imediata.

A empresa comunicou que mantém diálogo permanente com as autoridades, na busca das melhores soluções para os moradores e comerciantes atendidos pelo Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação (veja a nota na íntegra no final do texto).

A Defesa Civil de Maceió informou que fez um documento que aponta o Ilhamento Sócioeconomico na região. O órgão disse que esse documento foi encaminhado para o Ministério Público Federal (MPF) e para a Braskem.

O MPF comunicou que foram solicitados estudos complementares e que o assunto ainda está em análise.

Manifestantes bloquearam o cruzamento entre a Ladeira Professor Benedito Silva e a Rua Marquês de Abrantes, em Bebedouro, Maceió

Douglas Lopes/TV Gazeta

Afundamento do solo

Mais de 14 mil imóveis foram condenados nos bairros do Pinheiro, Bom Parto, Mutange, Bebedouro e Farol. Após décadas de mineração, as áreas passam por um lento processo de afundamento do solo que abre rachaduras em ruas, prédios e casas.

Veja a nota da Braskem na integra

A Braskem atua na área delimitada pela Defesa Civil como zona de criticidade 00 – que exige realocação imediata – e zona de criticidade 01, que determina monitoramento e não exige mudança imediata. A empresa mantém diálogo permanente com as autoridades, na busca das melhores soluções para os moradores e comerciantes atendidos pelo Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação.

Em dezembro de 2020, a Braskem assinou um acordo que prevê recursos e tratativas nos aspectos sociais, ambientais e de mobilidade. Empresas especializadas estão realizando os diagnósticos nas áreas de entorno do mapa de desocupação para compreender as alterações nas dinâmicas sociais e de mobilidade e sugerir propostas de ações, a partir de escutas da comunidade.

A Braskem respeita o direito de manifestação pacífica e reitera o seu compromisso com a segurança dos moradores dos bairros afetados pelo fenômeno geológico, propondo e executando as ações necessárias para isso.

VÍDEO: Veja o antes e depois dos bairros afetados pelo afundamento do solo

Fotos mostram antes e depois dos bairros de Maceió afetados pelo afundamento do solo

Fonte: G1
Comunicar erro
Alagoas Em Dia

© 2021 Alagoas Em Dia
Notícias o tempo todo

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Alagoas Em Dia