Sa√ļde Alagoas

Secretário Alexandre Ayres presta contas na ALE sobre gastos durante a pandemia em Alagoas

Por Redação

20/04/2021 às 23:00:43 - Atualizado h√°
Deputados da Comiss√£o de Sa√ļde questionaram sobre os n√ļmeros da pandemia no estado, compra de insumos e o calote na compra de respiradores sofrido pelo estado. Alexandre Ayres presta contas na ALE sobre gastos durante a pandemia

O secret√°rio de Sa√ļde do Estado, Alexandre Ayres, participou nesta ter√ßa-feira (20) de uma sabatina na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) onde deputados questionaram sobre as a√ß√Ķes do Executivo no combate à Covid-19. O encontro se deu após os parlamentares questionarem sobre a presta√ß√£o de contas do Sistema √önico de Sa√ļde (SUS) durante sess√£o realizada na segunda (19).

Participaram sete deputados que fazem parte da Comiss√£o de Sa√ļde e Seguridade Social da ALE. Eles fizeram perguntas sobre os gastos p√ļblicos durante a pandemia. Um dos temas apresentados foi o √≠ndice de mortalidade de pacientes com Covid após terem sidos intubados.

O deputado Davi Maia (Democratas) apresentou um balan√ßo com o n√ļmero de mortes de pessoas intubadas: 9 em cada 10 pacientes. O secret√°rio rebateu e disse que os dados est√£o equivocados.

"Nós temos diversos indicadores e nós estamos hoje com uma morte institucional dentro dos leitos de UTI em torno de 67%, ou seja, abaixo da média nacional que é, salvo engano, 81%", disse Ayres.

Os deputados também cobraram explica√ß√Ķes sobre a compra de 50 respiradores pela Sesau por meio do Consórcio Nordeste, que re√ļne os 9 estados da regi√£o e que teve contrato firmado em abril de 2020, mas nenhum estado recebeu os equipamentos.

O secret√°rio disse que o governo acionou judicialmente o Consórcio Nordeste para que responda civil, penal e administrativamente pela opera√ß√£o realizada na compra.

"Nós somos participantes do Consórcio Nordeste, mas quem possui a a responsabilidade civil e administrativa para realizar as aquisi√ß√Ķes é o próprio consórcio que é uma pessoa jur√≠dica. Isso quer dizer que Alagoas foi lesada no momento em que fez uma rela√ß√£o com o próprio Consórcio e n√£o foi cumprido com o que foi compactuado", explicou o secret√°rio.

O Tribunal de Contas de Alagoas (TCE-AL) e o Ministério P√ļblico de Contas (MPC-AL) investigam a transa√ß√£o.

A deputada Jó Pereira (MDB) perguntou sobre a falta de medicamentos contra a Covid nas farm√°cias do estado, cobrou planejamento por parte do governo para o per√≠odo pós pandemia e questionou também a investiga√ß√£o epidemiológica sobre o falecimento de pessoas por causas indefinidas.

Alexandre Ayres explicou que a investiga√ß√£o das causas de mortes n√£o identificadas é de responsabilidade das secretarias municipais de Sa√ļde. "Ainda assim, comprometo-me a dialogar com os munic√≠pios", disse ele.

O secret√°rio esclareceu também aos deputados que os medicamentos e kits de intuba√ß√£o est√£o 100% garantidos pelo Estado, n√£o havendo qualquer problema de abastecimento.

"Em dezembro, quando vislumbramos possível desabastecimento, solicitamos a antecipação das entregas dos medicamentos contratados aos fornecedores. Alagoas tem estoque para 60 dias", disse ele.

Na reuni√£o também foi cobrado planejamento do governo para o per√≠odo pós pandemia e uma aten√ß√£o especial à demanda reprimida na sa√ļde. O secret√°rio disse que as consultas e exames eletivos continuam acontecendo na rede hospitalar do Estado, como cirurgias de reconstru√ß√£o mam√°ria, ortopédicas, entre outras.

"Só em Maceió, existem mais de 200 mil pessoas aguardando por exames ou consultas. Isso n√£o é responsabilidade da atual gest√£o ou da anterior, mas decorrente das dificuldades porque o Brasil passa em rela√ß√£o à pandemia", justificou

Secret√°rio Alexandre Ayres participa de reuni√£o com deputados de Alagoas

Fonte: G1
Comunicar erro
Alagoas Em Dia

© 2021 Alagoas Em Dia

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Alagoas Em Dia