Sa√ļde Brasil

Conscientização é instrumento para afastar pessoas das drogas

Hoje (20) é o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. A data ganha importância ainda maior diante do aumento registrado no consumo dessas...

Por Redação

20/02/2021 às 16:03:06 - Atualizado h√°

Hoje (20) é o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. A data ganha import√Ęncia ainda maior diante do aumento registrado no consumo dessas subst√Ęncias durante a pandemia do novo coronav√≠rus, provocado pelo distanciamento social.

Uma pesquisa da Organiza√ß√£o Pan-Americana da Sa√ļde (Opas), realizada no ano passado, mostra que 35% dos adultos, na faixa et√°ria dos 30 aos 39 anos de idade, fizeram uso exagerado de √°lcool, o que levou a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) recomendar que os pa√≠ses limitassem a venda de bebidas alcoólicas.

A psiquiatra Janine Veiga, professora da Pontif√≠cia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC Rio), ressaltou, em entrevista à Ag√™ncia Brasil, a import√Ęncia do dia 20 de fevereiro para conscientizar as pessoas sobre os malef√≠cios do abuso de drogas e √°lcool, que tem crescido na pandemia também pela falta de intera√ß√£o entre as pessoas e pela falta de lazer. "As pessoas perderam seus empregos, os estudantes deixaram de estudar", disse.

Janine Veiga avaliou que os maiores malef√≠cios s√£o provocados pelo aumento do consumo do √°lcool. "O alcoólico apresenta preju√≠zos nas esferas pessoal, social e profissional. Além disso, o alcoolismo traz duas graves consequ√™ncias, que s√£o a intoxica√ß√£o alcoólica e a abstin√™ncia alcoólica". Tanto uma como a outra situa√ß√£o s√£o consideradas emerg√™ncias e passam a trazer o preju√≠zo para a esfera f√≠sica, explicou a médica. Como envolvem patologias cl√≠nicas, elas requerem hospitaliza√ß√£o e podem, inclusive, levar à morte.

Conscientização

"Por isso é importante essa conscientiza√ß√£o". Na cl√≠nica de tratamento de dependentes qu√≠micos onde também trabalha, localizada na zona oeste do Rio de Janeiro, Janine Veiga informou que é realizado um trabalho multiprofissional, onde se aplica o Programa de 12 Passos, além de acompanhamento terap√™utico e psicológico e atividade f√≠sica. Segundo ela, o programa est√° fundamentado na recupera√ß√£o do paciente em princ√≠pios espirituais, possibilitando a ele autoconhecimento, cren√ßa em um poder superior, confian√ßa no outro, reformula√ß√£o de h√°bitos saud√°veis e, também, exercitar o perd√£o e a responsabilidade.

Também durante a pandemia foi percebido incremento do n√ļmero de jovens consumindo √°lcool. De acordo com pesquisa canadense, o percentual subiu de 28,6% para 30,1%. A psiquiatra Janine Veiga chamou aten√ß√£o para o fato de o √°lcool ser n√£o ser considerado uma droga il√≠cita e ser de f√°cil obten√ß√£o, com baixo custo, muitas vezes.

Assim, muitos jovens, que ainda n√£o t√™m essa conscientiza√ß√£o da depend√™ncia, ficam presas f√°ceis do alcoolismo. "Algumas pessoas conseguem usar tanto √°lcool como drogas ocasionalmente, de forma recreativa, diferente daquelas que t√™m uma predisposi√ß√£o genética à depend√™ncia. Esses jovens, quando fazem uso, perdem o controle. É uma roleta russa", disse ainda a psiquiatra. Janine indicou que o jovem que tiver predisposi√ß√£o à depend√™ncia n√£o vai mais conseguir sair do c√≠rculo vicioso de uso, fissura, abstin√™ncia e retorno ao uso de droga ou √°lcool.

Campanha

O psicólogo Guilherme Campanh√£, do Centro de Aten√ß√£o Psicossocial de Álcool e Drogas (Caps AD) Jardim √āngela, destacou a import√Ęncia de campanha de conscientiza√ß√£o para a popula√ß√£o sobre os malef√≠cios dessas subst√Ęncias. "Uma campanha deste tipo chama a aten√ß√£o para uma problem√°tica recorrente, que nos acompanha todos os dias", afirmou. O CAPS AD é gerenciado pelo Centro de Estudos e Pesquisas Dr. Jo√£o Amorim (Cejam), em parceria com a Prefeitura Municipal de S√£o Paulo.

Segundo o psicólogo, dedicar um dia para falar sobre as drogas "possibilita repensar nossa rela√ß√£o com as subst√Ęncias psicoativas e promover maior consci√™ncia no papel que elas ocupam na vida de todos". Avaliou que o aumento no consumo de √°lcool e drogas é motivado, em especial, por uma tentativa de enfrentar as incertezas e mudan√ßas provocadas pela pandemia. Na capital paulista, os dependentes de drogas e alcoolismo podem ser atendidos nos Centros de Aten√ß√£o Psicossocial (Caps) e nas Unidades B√°sicas de Sa√ļde (UBS).

ABP

O presidente da Associa√ß√£o Brasileira de Psiquiatria (ABP), Antonio Geraldo da Silva, disse à Ag√™ncia Brasil que para conscientizar as pessoas dos malef√≠cios do consumo de produtos como drogas e √°lcool, é preciso "trabalhar, efetivamente, com a promo√ß√£o da sa√ļde e a preven√ß√£o de doen√ßas incansavelmente, em todas as m√≠dias. Este trabalho deve ser realizado juntamente com o governo federal, através das secretarias envolvidas".

Desde 2011, a ABP desenvolve campanha permanente contra o uso de √°lcool e drogas, intitulada "Craque que é craque n√£o usa crack". Antonio Geraldo da Silva disse que o √°lcool, embora seja considerado uma droga l√≠cita, re√ļne no Brasil em torno de 25 milh√Ķes a 30 milh√Ķes de alcoólatras. "A campanha nossa trata da conscientiza√ß√£o das pessoas durante 365 dias por ano. A gente n√£o para de falar sobre isso".

O titular da entidade admitiu que o tratamento de dependentes qu√≠micos requer a forma√ß√£o de uma rede de prote√ß√£o que envolva a fam√≠lia. "O tratamento de dependentes qu√≠micos, em geral, requer a participa√ß√£o da fam√≠lia, requer a constru√ß√£o de uma rede de prote√ß√£o. Para tanto, faz se necess√°rio trabalhar tanto as quest√Ķes médicas quanto as n√£o médicas neste momento. Por isso, a import√Ęncia de, inicialmente, construir um plano terap√™utico com o envolvimento de toda estrutura médica e, após a alta, incluirmos todo o aparelho social que deve ser envolvido de forma direta para atender as pessoas que tratam de depend√™ncias qu√≠micas".

Tabaco

A Funda√ß√£o do C√Ęncer aproveitou o dia dedicado ao combate às drogas e ao alcoolismo para refor√ßar os perigos de uma droga legalizada, que é o tabaco."Ela é legalizada, mas causa depend√™ncia como diversas outras drogas il√≠citas", alertou o médico Luiz Augusto Maltoni, diretor-executivo da institui√ß√£o. Encontrado facilmente em bancas de jornais, postos de gasolina e no comércio em geral, o cigarro contém nicotina e outras subst√Ęncias tóxicas. Maltoni refor√ßou que a nicotina causa depend√™ncia.

"É viciante. Isso precisa ser levado em conta. Nosso pa√≠s passa, como todas as na√ß√Ķes, por um momento no qual a vigil√Ęncia epidemiológica est√° voltada para a covid-19. É crucial, porém, que aqueles que atuam em √°reas estratégicas para o controle da epidemia do tabagismo sigam buscando medidas que evitem o aumento do consumo de tabaco, que, ali√°s, é fator de risco para a covid-19", disse.

Para reduzir o consumo de cigarro, a Funda√ß√£o do C√Ęncer sugere algumas medidas, entre as quais o aumento de impostos sobre o produto, investir em campanhas, proibir propagandas em locais de venda e padronizar os ma√ßos de cigarro, de modo que fiquem menos chamativos para os consumidores.

Dados da Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) revelam que o tabaco mata mais de oito milh√Ķes de pessoas por ano e mais de sete milh√Ķes dessas mortes s√£o resultado do uso direto do tabaco. "O custo anual do tabagismo para sociedade brasileira é, em média, de R$ 57 bilh√Ķes. Enquanto isso, segundo informa√ß√£o mais recente do Observatório Nacional da Pol√≠tica de Controle do Tabaco, do Instituto Nacional de C√Ęncer (INCA), a arrecada√ß√£o fiscal total pela venda de produtos de tabaco e derivados alcan√ßou, em 2015, o valor aproximado a R$ 13 bilh√Ķes", disse Maltoni.

Fonte: Agência Brasil
Comunicar erro
Alagoas Em Dia

© 2021 Alagoas Em Dia

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Alagoas Em Dia