OAB-AL lança pesquisa sobre a retomada das aulas presenciais

OAB-AL lança pesquisa sobre a retomada das aulas presenciais
Formul√°rio de perguntas é direcionado aos pais, estudantes e profissionais da educa√ß√£o de Alagoas. Pesquisa tem o objetivo de saber opini√Ķes de pais, estudantes e profissionais de educa√ß√£o sobre a retomada de aulas presenciais, em Alagoas

Ascom OAB-AL

A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas (OAB-AL), por meio da Comissão de Defesa da Criança e do Adolescente, lançou nesta segunda-feira (24) uma pesquisa online para saber qual a opinião dos cidadãos sobre a volta das atividades presenciais em escolas de Alagoas no cenário atual da pandemia do novo coronavírus.

Confira aqui o formul√°rio com a pesquisa

Ainda n√£o h√° uma data definida para o retorno das aulas. Nesta manh√£, o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), sinalizou que essa retomada pode acontecer de forma gradativa, considerando as necessidades do setor privado, mas sem prazo para isso acontecer.

De acordo com a OAB, a pesquisa é importante para que as diferentes opini√Ķes embasem a discuss√£o sobre retomar ou n√£o as atividades presenciais no segmento da educa√ß√£o.

"Neste momento de retomadas de alguns setores, nossa Comiss√£o de Defesa da Crian√ßa e do Adolescente busca entender o cen√°rio ouvindo as pessoas diretamente ligadas à situa√ß√£o: pais, alunos e os profissionais dos setores da educa√ß√£o. É muito importante que a Ordem entenda as principais necessidades neste momento, possibilitando avan√ßos no assunto", disse o presidente da OAB-AL, Nivaldo Barbosa Jr.

O presidente da Comiss√£o, Paulo Paraizo, afirmou que o resultado da pesquisa ser√° apresentado aos gestores e deve subsidiar novas a√ß√Ķes.

"Até ent√£o n√£o tem uma data definida para esse retorno das atividades presenciais, mas j√° estamos bastante preocupados. Nossa ideia é que, com a pesquisa, a gente possa mostrar aos gestores o resultado. Além disso, temos também o intuito de realizar uma audi√™ncia p√ļblica para que a situa√ß√£o seja debatida", afirmou Paraizo.

Segundo Paraizo, a pesquisa também est√° sendo divulgada entre os conselheiros tutelares para uma maior participa√ß√£o de outros munic√≠pios e comunidades.

Veja mais notícias da região no G1 Alagoas