Uncisal decide retomar aulas de forma remota, mas não define data

Uncisal decide retomar aulas de forma remota, mas não define data
Decisão foi aprovada em votação pelo Conselho Superior (Consu) da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal). Aulas presenciais na Uncisal foram suspensas em março, desde que tiveram início as regras de isolamento por causa da pandemia do novo coronavírus

Thamires Ribeiro/G1

A Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) deve retomar as atividades por meio de aulas remotas, enquanto durar a proibição a aulas presenciais por causa da pandemia do novo coronavírus. Ainda não há, porém, uma data definida para isso acontecer.

A decisão foi aprovada na terça-feira (14), pelo Conselho Superior da Uncisal (Consu). Foram 44 votos favoráveis ao retorno, sete contrários e uma abstenção.

A data ainda está indefinida porque a universidade busca garantir acessibilidade para estudantes e professores na capital e no interior do estado, minimizando eventuais dificuldades como acesso à internet ou falta de equipamentos.

A Reitoria da Uncisal informou que articula com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e com parlamentares a concessão de bolsas que assegurem acesso à internet, empréstimos de equipamentos e criação de polos físicos, que servirão de apoio para estudantes e professores.

Uma outra alternativa seria as prefeituras disponibilizarem espaços para que estudantes que residem no interior possam fazer uso de recursos ou até a própria universidade servir como polo, desde que adotados os protocolos de segurança.

A proposta de retomada das atividades de forma remota foi elaborada pelo Comitê de Gerenciamento de Crise da Academia, composto pela vice-reitora, Ilka Soares; por pró-reitores; diretores de centros; e representantes do movimento estudantil. As discussões foram iniciadas em março, quando entraram em vigor as primeiras medidas de isolamento.

Além das aulas remotas, o Consu também aprovou a retomada de atividades remotas de extensão. Apenas os estágios curriculares e as aulas práticas não têm previsão de retorno, por serem atividades presenciais que dependem de autorizações governamentais.